Sobre os homens altamente sensíveis: reflexões e depoimentos

Sobre os homens altamente sensíveis: reflexões e depoimentos

12/08/2020 artigos,Slide Rosalira Oliveira

Texto de autoria de Fábio Cunha

 

A cultura que dita um padrão de comportamento onde os homens não podem demonstrar emoções é danosa a todos os homens, mas para os homens mais sensíveis é devastadora.

 

Eu sempre me senti deslocado e com dificuldade em me encaixar no padrão. Sentia algo estranho, uma falta de sentido, uma ansiedade, uma sensação de estar sempre no lugar errado. Nunca consegui concordar e me encaixar no discurso competitivo entre os homens ou a forma de ver as mulheres. Era como se os outros não sentissem o que eu sentia, não vissem o mundo da forma como eu via. Em muitas fases da minha vida, principalmente a partir da adolescência, eu fui me adaptando para poder pertencer ao grupo. Enquanto estava com os amigos fingia que era igual a eles, mas quando estava só era onde eu realmente me encontrava e deixava a minha sensibilidade extravasar através dos livros, músicas e filmes que assistia quase em segredo.

 

Por muito tempo eu não entendi minha dificuldade em me adaptar a certos ambientes, a necessidade de ficar só para me recarregar e o modo como eu sentia profundamente o ambiente emocional à minha volta. Não conseguia explicar isso. Nunca comprei a ideia de sucesso que as pessoas vendem, sempre me importou mais o propósito do trabalho e impacto no mundo do que o salário ou o valor da empresa na bolsa. Por quase 40 anos achei que eu tinha muitos defeitos que faziam eu não conseguisse atender à expectativa que a sociedade tinha de mim.

 

Um dia um livro me chamou a atenção, parecia que ali havia uma salvação: O Poder dos Quietos de Suzan Cain. Neste livro eu conheci o conceito de Pessoas Altamente Sensíveis e pela primeira vez eu me compreendi. Comecei a pesquisar sobre esse traço, mas ainda sentia que faltava uma parte desse quebra-cabeça que era entender como isso se relacionava especificamente com o fato de ser homem.

 

Que tipo de masculinidade a sensibilidade pode expressar?

Esta compreensão eu tive quando comecei a frequentar um grupo de encontro de homens em São Paulo. Ali pela primeira vez eu assumia entre homens as minhas fragilidades, aprendi a ser vulnerável e pude decifrar os padrões de masculinidade que estávamos replicando e que nos prendiam em papéis pré-estabelecidos. Pude compreender mais a minha sensibilidade a deixa-la se expressar como parte fundamental de quem eu sou. Neste artigo compartilho alguns dados e relatos de outros homens altamente sensíveis que responderam a uma pesquisa que fiz.

Homens e Sensibilidade:

Desde muito pequenos, somos submetidos a um padrão de conduta que define o que é ser homem. Homens precisam ser fortes, decididos, ativos e ter o controle. Isto é transmitido diretamente por nossos pais, pelas estórias, filmes, piadas e conversas…

 

Os meninos que expressam sentimentos como medo, insegurança, ansiedade e tristeza, são vistos como feminizados e são excluídos e humilhados pelos outros meninos. São rotulados como chorões e aprendem que devem engolir seu choro e reprimir suas emoções para evitar serem hostilizados.  Para os meninos sensíveis, o preço para ser aceito e aprovado nesta sociedade é negar sua própria natureza.

 

Na pesquisa que fiz, pedi para que os homens que se reconhecem como altamente sensíveis falassem como foi a relação com sua sensibilidade em sua infância.

“Sempre diziam que eu chorava muito”
“Era obrigado a reprimir a minha sensibilidade, principalmente fora da intimidade da família”
“Minha mãe não compreendia, me sentia constantemente violentado, pelos gritos, era humilhado por ser chorão e tímido”
“Reprimia meus sentimentos e reprimo até hoje… as vezes não dá para segurar”
“Eu desenhava para poder expressar o que eu sentia”

 

Os meninos têm as mesmas necessidades humanas que meninas. Alguns estudos mostram que os bebês meninos têm até uma necessidade maior de toque e choram mais do que as meninas quando frustrados. Porém são tratados de forma bem diferente delas: são menos tocados pelos pais e são forçados a engolir seu choro. Desta forma aprendem a suprimir todas as suas emoções. A única emoção que um pai tolera que o filho expresse é a raiva. A violência é uma forma de expressão aceita e até incentivada, afinal, estes meninos estão simplesmente sendo homens, e assim vão se adaptando a este padrão.

 

O comportamento normalmente associado às meninas (empatia, sensibilidade, compaixão.) também é um comportamento natural masculino e que simplesmente não é reconhecido em muitas sociedades. Forçar-se a ser algo que não é causa sofrimento e é devastador para os homens altamente sensíveis que tem que se esforçar muito mais do que o restante dos homens para reprimir suas emoções. São comuns os relatos de homens sensíveis que sofrem de depressão e relatam tentativas de suicídio.

 

A grande maioria dos homens que respondeu a pesquisa, relata que crescerem sozinhos, com o rótulo de tímidos, sem nenhum ou com poucos amigos e que, durante a maior parte da vida, se sentiram excluídos e deslocados. Ao renegar seu lado sensível, muitos homens se tornam metade do que realmente são.

Homens Altamente Sensíveis e Relacionamentos

A falta de aceitação e repressão da sensibilidade têm um efeito muito nocivo sobre os relacionamentos.  A maior parte dos homens ouvidos relata que a alta sensibilidade é um fator determinante que ou dificulta o início ou já foi diretamente responsável pelo término de relacionamentos:

“Praticamente não tive relacionamentos, muitas paixões platônicas”
“Era horrível me relacionar, sempre fui muito tímido e tive pouquíssimos relacionamentos “
“Eu sempre pensava e encucava demais”
“Não conseguia abrir a minha intimidade, vergonha”

 

Não é simples o relacionamento para um homem altamente sensível. As mulheres também aprendem desde cedo qual é o padrão que um homem deve seguir e têm dificuldades em aceitar um homem mais sensível.  Ao mesmo tempo que as mulheres buscam por homens que as compreendam mais, elas ainda esperam que o homem seja sempre forte emocionalmente, tome as decisões e seja provedor. A maioria dos homens altamente sensíveis são introvertidos, eles também têm a necessidade de isolar-se, de permanecer em silêncio para recarregar sua energia e muitas vezes isto acaba virando um conflito constante pois a mulher se sente excluída ou rejeitada.

 

Os homens altamente sensíveis exigem mais profundidade em seus relacionamentos, analisam de forma mais profunda as consequências das falhas ou comportamentos de seus parceiros e ficam mais preocupados.  Por outro lado, quando estes homens permitem que sua sensibilidade se expresse, surgem qualidades fundamentais para um bom relacionamento: são empáticos, idealistas, nutridores, preocupam-se profundamente com o outro e gostam de ajudar.

 

Homens Altamente Sensíveis e seu papel no mundo

Os homens altamente sensíveis têm um papel importante na sociedade, pois são excelentes observadores, intuitivos, tem visão sistêmica e capacidade de enxergar diferentes abordagens na resolução de problemas.

 

Na pesquisa relataram que tem dificuldade com ambientes de trabalho extremamente ruidosos e com muita conversa. Descrevem que sua sensibilidade não pode ser expressada no trabalho, normalmente é vista como algo que precisa ser escondido.

 

Para que uma sociedade funcione de forma saudável e sustentável deve haver um equilíbrio entre os diferentes estilos de masculinidade. Os homens altamente sensíveis podem trazer este equilíbrio, suas opiniões que nascem da observação e reflexões profundas precisam ser consideradas e eles precisam estar presentes em posições de liderança. Da mesma forma precisam ter um ritmo de trabalho apropriado para cultivar o lado positivo de sua sensibilidade e cuidar de sua energia.

 

O mundo moderno foi construído sob o comando dos homens que criaram e seguiam o padrão estabelecido de masculinidade que os levou a criar toda uma cultura baseada na competitividade, onde o homem dever ser poderoso e conquistador para ter valor. Os homens admirados são aqueles que conquistam povos, países, mulheres, mercados e posições sociais. A utilização de estratégias violentas é uma forma aceita para se obter sucesso no mundo e está presente na maioria das atividades dos homens como esportes, negócios e política. Os mais fortes são premiados, existe uma hierarquia de poder onde somente os fortes e vencedores têm voz.

 

Os homens altamente sensíveis têm a tendência de serem guiados por valores éticos profundos, e colocam o senso de propósito acima do ganho pessoal imediato.  Os homens pesquisados reconhecem em si alguns valores profissionais que praticam e são fundamentais para a criação deste novo mundo como: honestidade, sustentabilidade, criatividade, eficiência, empatia, colaboração, compreensão, senso coletivo, transparência, integridade, liberdade e respeito ao próximo.

 

Estas qualidades podem transformar as organizações e a política.  A sensibilidade capta detalhes sutis que estão por trás daquilo que é aparente, permitindo antever os problemas, e criar soluções inovadoras que atuam na raiz dos conflitos.

 

Precisamos mudar as métricas de sucesso e as expectativas que pais e professores colocam nos meninos, para que a sensibilidade, e um modo diferente de ser homem, também seja valorizada e possa ser expressa. Para os homens adultos, por vezes é necessário um trabalho de autoconhecimento e desenvolvimento antes que eles possam se sentir seguros para encontram o seu lugar e permitir que sua sensibilidade se expresse.

 

É hora de mudança

Embora os homens sensíveis possam não ser guerreiros lutando em campos de batalha, suas batalhas exigem muita coragem também. Lutar para defender a justiça na sociedade, exige muita força. É preciso muita coragem e força interior para vencer esta programação e conseguir mostrar nossas emoções e sermos vulneráveis.  Juntos somos mais fortes!

 

Por Fábio Augusto Cunha: fabioaucunha@gmail.com

Para saber mais:

  • Susan Cain: O Poder dos Quietos

https://www.youtube.com/watch?v=-nTp2e4bCMc

  • Alta sensibilidade e masculinidade: um papo (muito) importante

https://www.youtube.com/watch?v=w-QZsIIsxx8&lc=UgyvE05wfY2KQEck4Al4AaABAg.9CCYsnpecdK9CDrU2Q44DF

Comentários
Tags
Sobre o autor
Rosalira Oliveira Sou coach com formação em coaching ontológico e especializada em alta sensibilidade. Fiz minha transição recentemente, quando encerrei meu ciclo como pesquisadora e doutora em antropologia cultural e tornei-me criadora do “Ame sua sensibilidade”, um programa de coaching destinado a ajudar as pessoas altamente sensíveis a compreender e integrar em essa sua característica, de modo a viver uma vida com mais felicidade e significado.

Alta sensibilidade e você. Conheça agora o curso online.Clique aqui
+