Alta sensibilidade em tempos de incerteza

Alta sensibilidade em tempos de incerteza

19/12/2020 artigos,Slide Rosalira Oliveira

alta sensibilidade e incerteza 1

“A única coisa constante na vida é a mudança.” – Francois de La Rochefoucauld.

 

Confesso que o título deste artigo me surpreendeu. Quando pensei em escrever pretendia ir na linha de uma reflexão sobre a alta sensibilidade e as festas de fim de ano, como tenho o hábito de fazer nesta época. De modo geral, tendo a me concentrar no significado espiritual destes dias, em como podemos nos proteger do excesso de estímulos que caracterizam esta época…e por aí vai. Mas, o que eu poderia dizer sobre a alta sensibilidade ao final de um ano que se mostrou tão difícil para todos nós? Como ajudar as PAS a lidar com esta realidade?

 

Para mim, pessoalmente, a resposta para os tempos difíceis sempre esteve naquilo que o mestre Deepak Chopra chama de sabedoria da incerteza. E, creio que esta é a única mensagem que faz sentido transmitir neste momento. Pensando e pesquisando sobre alta sensibilidade e incerteza me deparei com um artigo intitulado Coping With Uncertainty During COVID-19, no qual a dra. Elaine Aron também reflete sobre este tema. E fiquei feliz ao constatar que compartilhamos a mesma intuição sobre o modo como nós, PAS, podemos atravessar esta crise.

 

As PAS e a incerteza

Uma das afirmações da dra Aron neste artigo me chamou particularmente a atenção. Ela diz: “Nós PAS odiamos a incerteza. Isto acontece porque temos a tendência a processarmos profundamente nossas decisões. E isto se torna bem mais difícil quando há tantas incertezas e influências futuras sobre as quais podemos pensar muito bem, mas, ainda assim, não conseguimos controlar. E este é o temas central do problema: A incerteza nos coloca diante da dificuldade – ou impossibilidade – de controle. Sem conseguir controlar, ou sequer prever, os acontecimentos futuros, tendemos a ficar refém dos nossos medos.

 

Acontece que, na maior parte das vezes, a ideia de controle é uma ilusão. Presos a ela nos sentimos perdidos quando algo sacode as nossas certezas. O escritor Nassim Taleb usou a expressão “cisne negro[1] para se referir aos acontecimentos que, repentinamente, sacodem a nossa existência. No seu livro “A lógica do cisne negro”, ele diz que estes eventos apresentam, ao menos, três características: são imprevisíveis, ocasionam resultados impactantes e, após sua ocorrência, inventamos um meio de torná-los menos aleatório e mais explicáveis. Um cisne negro é, por exemplo, uma crise econômica ou sanitária ou uma perda pessoal, uma doença inesperada, um divórcio, etc.

 

Não resta dúvida que estamos diante de um enorme cisne negro com a pandemia da COVID 19. E junto com ela vem a necessidade de buscarmos tomar as melhores decisões possíveis, num cenário onde ninguém conhece todas as variáveis. E isto é profundamente estressante. Porém, e este é um grande porém, é preciso lembrar que, de maneira geral, nós PAS estamos bem equipadas para lidar com a incerteza. Somos cautelosos por natureza e tendemos a pensar muito antes de agir. O risco, entretanto, é que este “pensar muito” nos leve a exagerar as possibilidades negativas, aumentando o nosso medo e nossa ansiedade.

 

E como podemos lidar com tudo isto?

Como você pode imaginar, eu estou muito longe de ter uma resposta definitiva para esta pergunta.  Na verdade, dependendo do dia, me sinto profundamente abalada e perdida. O que eu penso que também ocorre com você. Mas, acredite: reconhecer o medo e a sensação de falta de chão é o primeiro passo para lidar com a incerteza. Negar ou suprimir suas emoções só aumentará o estresse e a ansiedade e o tornará mais vulnerável à depressão ou ao esgotamento. Permitir-se vivenciar a incerteza pode ajudá-lo(a) a reduzir o estresse, enfrentar melhor as circunstâncias e encontrar uma sensação de paz ao lidar com os desafios.

 

Entretanto, evite cultivar atitudes que apenas geram mais sofrimento.  Lembre-se do ensinamento budista de que a mudança é a essência do relativo. Tudo ao nosso redor é impermanente, e nós também. Isto significa ter a clareza de que esta situação também passará. Se você se apegar ao agora ou ao passado pré-COVID, ficará infeliz. Fique o mais seguro possível, é claro, mas aja como um Buda sobre isso também.

 

Ideias para abraçar a incerteza

Como já disse, eu também estou em processo de aprendizado nesta coisa de lidar com a incerteza. Mas, creio que a grande chave está numa mudança de mentalidade, capaz de proporcionar um ajuste na nossa maneira de encarar a vida e o imponderável que é parte dela.

 

Dica 1: tome medidas sobre as coisas que você pode controlar

Muito sobre a vida é incerto neste momento – e muitas coisas permanecem fora do nosso controle. Mas, embora você (ou eu) não possa controlar coisas como a propagação de um vírus ou a recuperação da economia, você não está totalmente impotente. Quaisquer que sejam seus medos ou circunstâncias pessoais, em vez de se preocupar com o incontrolável, tente reorientar sua mente para agir sobre os aspectos que estão sob seu controle, como por exemplo, os seus cuidados de saúde, quantidade de notícias que você consome, a qualidade da sua interação com as pessoas que vivem com você, etc.

 

Concentrar-se nos aspectos da vida que você pode controlar mudará seu foco, passando das preocupações e ruminações ineficazes para uma busca ativa de soluções. Claro que cada circunstância é diferente e, por vezes, existem situações nas quais tudo o que você pode controlar é sua atitude e resposta emocional.

 

Mesmo quando você não pode fazer mais nada sobre uma situação, ainda tem o poder de lidar ativamente com suas emoções, reconhecendo-as, aceitando-as e buscando maneiras consciente de expressar seus sentimentos. Permitir-se experimentar a incerteza dessa forma pode ajudá-lo a reduzir o estresse e encontrar uma sensação de paz à medida que lida com desafios.

 

Dica 2: Desafie sua necessidade de certeza

 

Embora a incerteza e a mudança sejam partes inevitáveis da vida, elas são algo muito difícil para nós PAS. Por isso, tendemos a adotar comportamentos equivocados para nos ajudar a lidar com o desconforto da incerteza. Alguns destes comportamentos são: buscar excessivamente a opinião dos outros sobre nossas decisões; recusar-se a delegar tarefas por medo do resultado; procrastinação, checagem constante de cada trabalho/tarefa, etc. Para começar a desafiar estes e outros comportamentos que adotou para aliviar o desconforto da incerteza, sugiro que você reflita sobre o custo emocional e energético desta atitude de eterna vigilância diante da vida. Pense:

O que você ganha com esta atitude? O que você perde? Sua preocupação constante evitou que algo desse errado no passado? Lhe deixou mais preparado(a) para os imprevistos? Lhe ajudou a sofrer menos?

Ao desafiar sua necessidade de certeza, você pode começar a deixar de lado os comportamentos negativos, reduzir o estresse e a preocupação e liberar seu tempo e energia para fins mais práticos.

 

Dica 3: Aprenda a aceitar a incerteza

 

Não importa o quanto você se esforce para eliminar a dúvida e a imprevisibilidade da sua vida, a verdade é que você já aceita muita incerteza todos os dias. Cada vez que você atravessa uma rua, fica ao volante de um carro, ou come comida de um restaurante, você está aceitando um nível de incerteza. As chances de algo ruim acontecer nessas circunstâncias são pequenas, então você simplesmente aceita o risco e segue em frente.

 

Atenção: Aceitar a incerteza não significa não ter um plano. Aceitar a incerteza não significa que você não deve ter um plano para as circunstâncias imprevistas da vida. É sempre bom ter algumas economias guardadas ou seguir à risca os procedimentos de segurança para a COVID, por exemplo. Mas, é igualmente importante que você reconheça que é impossível se prevenir de todos os perigos ou se preparar para todos os cenários possíveis.

 

 

Dica 4: concentre-se no presente

A incerteza geralmente está centrada nas preocupações sobre o futuro e em todas as coisas ruins que você imagina que podem acontecer. Isso pode levar você a ficar deprimido(a), a exagerar a extensão dos problemas e, mesmo, a sentir-se impotente e incapaz de agir para superar um problema.

 

Uma das maneiras mais seguras de evitar a preocupação exagerada com o futuro é se concentrar no presente. Em vez de tentar prever o que pode acontecer, volte sua atenção para o que está acontecendo agora. Por estar totalmente conectado ao presente, você pode interromper as suposições negativas e as previsões catastróficas que passam por sua mente. E terá mais clareza e energia para agir nos aspectos do problema que estão sob o seu controle.

 

Você pode aprender a focalizar sua atenção no momento presente por meio da atenção plena. Existem muitos exercícios de atenção plena disponíveis na internet. Eu mesma gravei um vídeo sobre este assunto que você pode conferir aqui.

O importante é destacar que a prática regular da atenção plena não apenas ajuda a mudar o foco das preocupações futuras para o momento presente, como também contribui para acalmar a mente, aliviar o estresse e melhorar seu humor de uma maneira geral.

 

Dica 5: Aprenda a controlar o estresse e a ansiedade

 

Tomar medidas para reduzir seus níveis gerais de estresse e ansiedade pode ajudá-lo a interromper a espiral descendente de pensamentos negativos, encontrar calma interior e lidar melhor com a incerteza em sua vida. Aqui vão algumas sugestões:    

  • Mexa-se. O exercício é um alívio natural e eficaz do estresse e um tratamento contra a ansiedade. Experimente adicionar um elemento de atenção plena e focar em como seu corpo se sente enquanto você se move.
  • Reserve um tempo para relaxar. Escolha uma técnica de relaxamento, como meditação, ioga ou exercícios de respiração profunda e tente reservar um tempo todos os dias para a prática regular.
  • Durma bastante. A preocupação e a incerteza excessivas podem perturbar seu sono. Da mesma maneira, a falta de sono de qualidade pode alimentar a ansiedade e o estresse. Melhorar seus hábitos diurnos e reservar um tempo para relaxar e descontrair antes de dormir pode ajudá-lo a dormir melhor à noite.
  • Mantenha uma dieta saudável. Comer refeições saudáveis ajuda a manter seus níveis de energia e a prevenir oscilações de humor. Evite alimentos açucarados e processados ​​e tente adicionar mais gorduras ômega-3 – de salmão, nozes, soja e linhaça – para dar um impulso geral ao seu humor.

 

Estas são minhas estratégias para lidar com a incerteza. Espero que algumas delas possam lhe ser úteis, ou que, ao menos, lhes sirvam de inspiração para criar as suas próprias maneiras de atravessar estes tempos difíceis. Cuide-se bem e nos encontramos no próximo mês.

 

Beijos e Bênçãos e até o próximo ano.

 

 

 

[1] O título do livro faz referência ao fato de que, até a descoberta da Austrália, todos os ocidentais “sabiam” que existiam apenas cisnes brancos. Logo, o cisne negro representou uma ruptura com as certezas estabelecidas.

Comentários
Tags
Sobre o autor
Rosalira Oliveira Sou coach com formação em coaching ontológico e especializada em alta sensibilidade. Fiz minha transição recentemente, quando encerrei meu ciclo como pesquisadora e doutora em antropologia cultural e tornei-me criadora do “Ame sua sensibilidade”, um programa de coaching destinado a ajudar as pessoas altamente sensíveis a compreender e integrar em essa sua característica, de modo a viver uma vida com mais felicidade e significado.

Alta sensibilidade e você. Conheça agora o curso online.Clique aqui
+